As Aventuras de Pipi O Macaco Cor-de-Rosa.

As Aventuras de Pipi O Macaco Cor-de-Rosa.
Carlo Collodi

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Sinfonia dos Livros: Agora na minha estante | Laura Kaye | Osho

Sinfonia dos Livros: Agora na minha estante | Laura Kaye | Osho: Olá a todos, Tenho muito gosto em poder dizer que o Sinfonia dos Livros tem nova parceria! A partir de agora podemos contar com o apo...





14/10/2016

Agora na minha estante | Laura Kaye | Osho

Olá a todos,

Tenho muito gosto em poder dizer que o Sinfonia dos Livros tem nova parceria! A partir de agora podemos contar com o apoio da Editora 4Estações/O Castor de Papel.
 

São boas notícias ou não? Vamos poder ter mais passatempos mensais e já consigo ir de encontro a quem queria mais passatempos (quem não os quer, certo?)

Para firmar esta parceria recebi os dois primeiros livros para leitura e posterior opinião

Dois estranhos...
Makenna James acha que o seu dia não pode ficar pior até que no edifício do seu escritório corre para apanhar o elevador. Enquanto se distrai para atender uma chamada o elevador pára e fica às escuras. Makenna encontra-se assim na companhia de um estranho do qual apenas vislumbrou a tatuagem de um dragão numa das suas mãos antes das luzes se apagarem.

Quatro horas...
Caden Grayson diverte-se com esta linda ruiva tão atrapalhada com a sua mala e o telemóvel. Mas logo a diversão acaba quando o elevador se imobiliza e ele, apesar dos seus piercings, tatuagens e cicatrizes, entra em pânico. Agora está preso dentro do seu pior pesadelo… durante quatro horas. Somente abrindo-se com Makenna é que Caden poderá vencer os seus demónios, da mesma foram que Makenna consegue ultrapassar o seu terror do desconhecido. Aos poucos e apesar da escuridão, ambos acabam por descobrir o muito que têm em comum. Na escuridão a atração e o desejo crescem e os dois não resistem a envolver-se com paixão. Mas, perguntam-se, irão sentir o mesmo quando as luzes voltarem? E quando forem salvos do elevador que os aprisiona o que farão?

O amor devia ser desinteressado. O amor não precisa de ser orientado para o outro. O amor orientado para o outro não é amor verdadeiro; o amor como relação não é amor verdadeiro. O amor como estado de ser é amor verdadeiro. Uma pessoa pode amar uma mulher, pode amar um homem, pode amar os seus filhos, pode amar os seus pais, pode amar as rosas e pode amar outras flores, pode amar mil e uma coisas – porém, tudo isso são relações. Aprenda a ser amor. Então, o que importa não é a quem o seu amor é dirigido, importa apenas que você seja amoroso. Mesmo que esteja sentado sozinho, o amor continua a fluir. Absolutamente só, calado, o que pode fazer? Da mesma maneira que respira... você não respira pela sua mulher; não se trata de um relacionamento. Você não respira pelos seus filhos; não se trata de um relacionamento. Você limita -se a respirar – é a vida. Tal como a respiração é a vida do corpo, o amor é a vida da alma – somos pura e simplesmente amor. E só então sabemos que o amor é “Deus”.