Amor às Claras de Laura Kaye.

Amor às Claras de Laura Kaye.
Lançamento 17 de maio de 2017.

sábado, 30 de maio de 2015

Inteligência Otimista de Viviana Blas, uma edição do Castor de Papel.


Domingo no Parque com livros e O Castor!


O editor Mário de Moura no Pavilhão da sua mais recente editora na Feira do Livro de Lisboa 2015.


        
       
         Mário de Moura
na Feira do Livro de Lisboa.
             No Pavilhão 
da sua mais recente editora
       4 Estações Editora 
        O Castor de Papel




www.castordepapel.pt




Livro do Dia na Feira do Livro de Lisboa, 30 Maio 2015. Sábado no Parque com livros e o Castor.


O Castor de Papel/4Estações Editora na Feira do Livro de Lisboa 2015.


Yoga para Crianças de Estela Inácio, uma edição O Castor de Papel/4Estações.


sexta-feira, 22 de maio de 2015

Acordei como acordam os tolos... Outras Leituras.

Ione França
Bem me parecia. É ternura o que acordei a sentir.
Ando a procurar desconhecidos. Ando no sentido de andar...Caminhar, ver e procurar. Desconhecidos? Nem todos estes e aqueles que desconheço são desconhecidos.
Acordei como acordam os tolos... ( nas livrarias e em www.castordepapel.pt)


Venha fazer uma aula de yoga gratuita no Parque Eduardo VII!


segunda-feira, 11 de maio de 2015

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1581025182185632&set=gm.1668938166667267&type=1


Depressa, quero-te conhecida nesta partida, para melhor lembrar-te. Sim, sempre estou a lembrar os que partem, eu que fico, boquiaberta, assustadiça, atrás das portas...atrás dos dias, atrás da vida. Que também partem, com aqueles que se vão.
Pág. 59- Acordei como acordam os tolos, cheia de felicidades.
www.castordepapel.pt

Falta uma semana!

De hoje a uma semana tem a oportunidade de conhecer Alexandre Beck, o autor da BD Armandinho, na Fnac Colombo às 18h30.
Siga o link para acompanhar o evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/1429691290675997/


sexta-feira, 8 de maio de 2015

Conheça o "pai" do Armandinho no dia 18 às 18h30 na Fnac Colombo


Mais informações sobre o evento em: https://www.facebook.com/events/1429691290675997/

Para subscrever a nossa newsletter: www.castordepapel.pt

quarta-feira, 6 de maio de 2015

http://silenciosquefalam.blogspot.pt/2015/05/dois-livros-para-quem-gosta-de-animais.html

http://silenciosquefalam.blogspot.pt/2015/05/dois-livros-para-quem-gosta-de-animais.html

terça-feira, 5 de maio de 2015


Silêncios que Falam


Dois livros para quem gosta de animais, em especial de cães: «Um Anjo de Quatro Patas» e «Os Animais Têm Alma?»


Um Anjo de Quatro Patas
de Walcyr Carrasco

Sinopse
Neste livro o escritor Walcyr Carrasco regista os momentos mais engraçados e comoventes vividos ao lado de Uno, um cão husky, para ele, um companheiro e um amigo.
Diz o autor: “Quando o meu amigo peludo chegou, eu amei-o naquele mesmo instante. Nos doze anos seguintes, eu e o Uno fomos fiéis companheiros um do outro. E recebi o amor incondicional que só os cães são capazes de oferecer.
Uno fez-me redescobrir o prazer de ver a vida com os olhos do coração. Foram risadas, diversões, trapalhadas, afeto e companheirismo. Dias de redescoberta das minhas emoções. O Unomostrou-me como ser feliz novamente.
Escrever este livro fez-me rir, chorar. Emocionar-me. Um anjo de quatro patas encheu o meu coração de esperança e mostrou-me que na vida há sempre coisas boas por acontecer”.

O autor
Walcyr Carrasco é escritor, cronista, dramaturgo e guionista, muito conhecido e apreciado pelo povo Português pela sua adaptação para a televisão do romance Gabriela, Cravo e Canela, e também pelas novelas Xica da SilvaO Cravo e a RosaChocolate com PimentaAlma Gémea e Caras & Bocas, de sua autoria. Membro da Academia Paulista de Letras, publicou mais de trinta livros infanto-juvenis, assim como várias adaptações de clássicos. É ainda autor de romances para adultos, de grande sucesso, como Pequenos DelitosA Senhora das Velas e Juntos Para Sempre. Dramaturgo premiado (Prémio Shell) pela peça Êxtase e também pela tradução e adaptação (União Brasileira de Escritores) de A Megera Domada, de Shakespeare.



Os Animais Têm Alma?
de Ernesto Bozzano

Sinopse
Quem lida com animais não duvida de que têm sentimentos e faculdades surpreendentes e, certamente, já se perguntou se porventura não possuirão também uma alma. Nestas páginas de leitura empolgante e surpreendente poderá encontrar a resposta positiva de acordo com o célebre investigador italiano Ernesto Bozzano. Tendo estudado centenas de casos ao longo de muitos anos, é neste livro que consegue demonstrar não só que os animais têm sentimentos como os seres humanos, como também provar cientificamente a existência da alma animal e a sua sobrevivência após a morte. Esta é uma das obras mais importantes sobre este tema, sendo imperdível para quem gosta de animais. Não esqueçamos que já o Papa João Paulo II proclamou que os animais estão tão próximos do Céu quanto os homens…

O autor
Ernesto Bozzano (1862-1943), professor na Universidade de Turim, escreveu cerca de cem obras de carácter científico e foi um dos mais considerados pesquisadores dos fenómenos espíritas. Percebeu a necessidade de uma determinação positiva da existência
da alma dos animais, e daí resultou um dos seus livros mais conhecidos, Os Animais Têm Alma?, editado em muitos idiomas com grandes tiragens.

Mário de Moura. DeMOURA . Escritor e Editor.

Mário de Moura, DeMOURA
Autor do Contador de Estórias e O Escultor de Almas.
Nas Livrarias e em www.castordepapel.pt
 
DA VÃ GLÓRIA
Quando Manuel Laureano Rodríguez Sánchez, naquela tarde quente de 29 de agosto de 1947, estava em seu camarim a vestir o seu flamejante traje de toureiro, ficou algum tempo a olhar-se ao espelho, a apreciar o seu rosto magro, austero, os traços quase esculpidos, o seu cabelo muito preto e uns olhos da mesma cor e vivos. Contudo, estava muito longe de adivinhar como um touro, um belo miúra, Isleno de nome, como tantos que matara fulminante e implacavelmente, o enfrentaria na praça de touros de Linhares, em Espanha.
Ao pisar a arena, como Manolete, o maior toureiro de todos os tempos até então, e segundo os aficionados até aos nossos dias, foi como sempre vibrantemente aclamado de pé pela assistência. A faena com o seu segundo touro foi como habitualmente brilhante e impecável, Manolete obrigando o touro a passar rente a ele, antes de marrar o pano vermelho, sem ele se mover um centímetro, sem sequer olhar o resfolgante animal de setecentos quilos, para aflição da plateia.
Continua dia 7 maio.

domingo, 3 de maio de 2015

Uma prenda do Armandinho no dia das mães.

Dia das mães em Portugal!
No Brasil, é no segundo domingo de maio smile emoticon
Parabéns mães, mães de coração, pais-mães, avós-mães, tios-mães, irmãos-mães...
Alexandre Beck

Acordei...




São Sentimentos simples,
perguntas fúteis, tais como:
onde está o amor?

Acordei como Acordam os tolos,cheia de felicidades.
Uma edição da 4 Estações Editora
www.castordepapel.pt

Os verdadeiros milagres fazem pouco barulho. O Castor de Papel


Só se vê claramente com o coração. O essencial é invisível aos olhos. Saint-Exupéry.


Armandinho Dois, de Alexandre Beck.


Ainda é possível ser criança...
O Castor de Papel


Link do lançamento na Fnac do Colombo.
https://www.facebook.com/events/1429691290675997/

Armandinho, de Alexandre Beck. Lançamento 18 de maio, 18:30h, Fnac Colombo

Armandinho, de Alexandre Beck.



Meu pai morreu. Muitas e muitas vezes.
De tiro, de frio, enforcado, queimado, crucificado
Matou uma velhinha para roubar joias
Assaltou bancos, invadiu casas
Foi traficante, viciado em drogas e em jogos
Meu pai foi prostituta e menor infrator
Foi preso na África, na Rússia, em Cuba, na França, no Uruguai
Foi torturado no Brasil
Meu pai fundou partidos, fez revoluções, combateu moinhos
foi humilhado, injustiçado e condenado
Foi vendido como escravo, passou fome
Escreveu livros, pintou quadros, pichou muros
Foi bailarina, padre, freira, remador, montanhista, vagabundo
Apaixonou-se, foi traído e traiu, fez aborto
Meu pai foi perseguido por ser homossexual
Morou em prédios de luxo, assentamentos, favela e calçadas
Lutou em guerras, foi cirurgião, político, operário e agricultor
Apanhou da polícia, do padrasto, resolveu crimes
Salvou vidas, foi professor, sofreu como cão e como gente
Teve medo, alegrias, inveja, ciúme, ódio, remorso, mágoa e esperança
Sentiu e sofreu todo tipo de preconceitos
Foi negro, branco, índio, mulher
Cristão, judeu, muçulmano, budista, ateu
Meu pai viveu muitas vidas, em muitas peles
Acredita que quanto mais certezas temos, menos sabemos
E que não se deve julgar uma pessoa
se não se é capaz de compreendê-la
Meu pai lê livros...


Link do lançamento em maio/15 em Portugal
https://www.facebook.com/events/1429691290675997/

Armandinho Zero
Armandinho Um
Armandinho Dois
Uma edição O Castor de Papel
www.castordepapel.pt