Amor às Claras de Laura Kaye.

Amor às Claras de Laura Kaye.
Lançamento 17 de maio de 2017.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Blog Silêncios que Falam- Louco por Viver

Miguel Pestana, autor do blog Silêncios que Falam, blog parceiro do Castor de Papel, publica a sua apreciação em relação ao livro "Louco por Viver" do autor Roberto Shinyashiki.
Nas palavras do próprio: "Muitos dos temas e afirmações positivas e motivacionais encontradas na obra são muito “batidas” para quem é leitor assíduo deste género de livros. Por esta razão talvez este seja um livro propício para leitores iniciantes de Desenvolvimento Pessoal. Um dos prós de Louco por Viver é o aspecto gráfico interior e exterior apelativos, que conta com um trabalho esmerado a nível de tipos diferentes de letras utilizados, paginação criativa e uma estrutura e divisão dos capítulos bem conseguida."

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Blog as Leituras do Corvo - Acordei como Acordam os Tolos, Cheia de Felicidades

Carla Ribeiro, autora do blog As Leituras do Corvo, blog parceiro do Castor de Papel, publica a sua apreciação em relação ao livro "Acordei como Acordam os Tolos, Cheia de Felicidades" da autora Ione França.
Nas palavras da própria: "A soma de tudo isto é, portanto, um livro equilibrado, em que a diversidade de temas se conjuga com a unidade da voz que os aborda, para dar forma a uma leitura cativante e surpreendente. Vale a pena ler."




segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Blog Folhas de Papel - Louco por Viver

Sofia Morais, autora do blog Folhas de Papel, blog parceiro do Castor de Papel, publica a sua apreciação em relação ao livro "Louco por Viver" do autor Roberto Sinhyashiki.
Nas palavras da própria: "Parece-me que, mesmo que uma pessoa não seja adepta de livros deste teor, é difícil ficar impassível com alguns dos conselhos partilhados pelo autor"
Leia o artigo completo em: https://folhasdepapel.wordpress.com/2015/01/26/louco-por-viver-2013-roberto-shinyashiki/





sábado, 24 de janeiro de 2015

O Castor de Papel: NA POEIRA DO TEMPO DeMOURA

O Castor de Papel: NA POEIRA DO TEMPO DeMOURA: DeMOURA                         mariommoura.blogspot.com NA POEIRA DO TEMPO            Não sei porque me lembrei agora da viagem (L...

NA POEIRA DO TEMPO DeMOURA


DeMOURA                         mariommoura.blogspot.com

NA POEIRA DO TEMPO         
  Não sei porque me lembrei agora da viagem (Lisboa/Nova York/ Caracas), de que falei no blogue anterior, feita há já sessenta e seis anos. As recordações são como as nuvens, aparecem subitamente num céu límpido, avolumam-se, por vezes desfazem-se em chuvas, outras somem na profundeza azul do céu. Nem umas nem outras respeitam previsões antecipadas, aparecem e desaparecem a seu belo prazer.
   Imaginem, eu lembrar agora, com noventa anos, essa viagem que fiz com vinte e quatro anos. Certo que foi muito importante, uma virada total na minha vida, mas porque me lembro agora dela, com tanta nitidez e detalhes, tantos anos decorridos?
  Quando olho para o meu passado, e faço-o pouco, as recordações não obedecem nem a uma ordem cronológica, nem à importância emotiva, familiar ou profissional. Vêm porque vêm, e como vêm, vão quando vão.
  Quando comecei a escrever estes blogues o tema a que me propunha era o que os intitulava:  “Encantos e desencantos de um editor”.  Na realidade eu pensava escrever exclusivamente sobre os episódios bons e maus, curiosos ou divertidos, importantes e marcantes da minha  longa  vida de editor (sessenta anos). Mas com o tempo saltaram à minha memória,  e aos meus dedos, algumas cenas que nada têm a ver com a minha vida de editor mas sim com ela em geral. Ou seja na sua sequência alguns blogues revelam a minha trajectória editorial, outros apenas  algo da minha vidinha.
   A realidade é que não é fácil separar essas recordações pois umas interferem nas outras, por vezes são concomitantes no tempo e no espaço, algumas são puramente consequências de anteriores. O meu percurso foi moldado pela minha paixão por livros e viagens e pela vida, num emaranhado do qual emergem hoje cenas marcantes para mim.
  Desta forma, resolvi não policiar a estrita pureza  em relação ao título do que aqui escrevo, com as antecipadas desculpas para quem não gostar.
 Mas a verdade é que este episódio que agora escrevi, mais do que os anteriores, despertou em mim a vontade de colocar no papel algumas dessas recordações do meu passado, não, claro, porque tenham interesse para os outros, ou valor literário, mas porque vai ser curioso, gratificante, ou não, para mim recordá-las. É óbvio que possivelmente estão diferentes, partes esquecidas e outras adulteradas, involuntariamente ou não, pela ação mágica do filtro do nosso ego e da nossa consciência.
  As lembranças são como o pentimento na pintura, uma paisagem pintada sobre uma outra (porque ao pintor não lhe interessa mais o quadro anterior, talvez por não o achar bom) arrisca a que as imagens inferiores, antigas, subam e alterem as recentes, com resultados extravagantes.
  Para colmatar esses erros e deturpações poderia, claro, deveria até, pesquisar, informar-me com parceiros desses momentos, para evitar muitos dos erros ou omissões, trocas de datas e nomes, até de personagens. Mas decidi que isso não interessa porque não será um livro de memórias, autobiográfico ou histórico. Não é sequer um livro, nem um Diário. Será, sim, como que um filme sem guião, com realizador e atores não profissionais, um filme experimental e neorrealista.
   Não posso dizer se a minha trajetória de vida foi, ou não, prejudicada por ter eu sido um contestatário político, ou por ter sido emigrante   (na Venezuela, no Canadá, no Brasil e, de certo modo,  até em Portugal, no regresso), ou por o meu curso universitário, em termos práticos, ter sido um erro em todos os aspetos, nunca o tendo aproveitado profissionalmente, dele retirei para a vida  a matemática que aprendi e de que tanto gostei. Apesar de tudo isso, considero que fui muito feliz.
   Primeiro, porque os meus pais me proporcionaram uma boa infância e uma família grande e muito unida, e, também, por me terem permitido uma adolescência com muita liberdade e rica em experiências.
  Segundo, porque quando adulto, com esforço e perseverança, e bastante sorte, consegui um rumo profissional muito gratificante, o da edição, no qual tive razoável sucesso. Também porque aproveitei este para viver bem, criar quatro filhos, viajar muito e desfrutar sempre de muita oferta cultural.
  Terceiro, porque a natureza me concedeu o privilégio de uma velhice saudável e lúcida.
   Porém rolei como um seixo no leito de um rio de caudal forte. Mas talvez tenha sido isso que alisou a minha alma e a mente, de tal forma que agora revejo todos esses anos vividos, um a um, mês a mês, semana a semana, hora a hora, e acho que valeu a pena, que posso dizer, sem falsa modéstia, que plantei sonhos dos quais colhi os frutos.
  Conseguirei eu, através destas linhas, escritas sem ordem e sem formalidade, construir um painel variado do que foi essa minha vida, para eu mesmo ver e apreciar. Talvez alguns leitores, que de qualquer forma tenham sido mais chegados a mim, tenham curiosidade de espreitar também para estes textos descontinuados e identifiquem episódios e épocas de que participaram ou que, pelo seu teor, lhes interesse particularmente. Ficaria muito satisfeito.
   Essa probabilidade será possível agora que as redes sociais desfizeram fronteiras geográficas e até pulverizaram as do tempo-memória, transformando o planeta Terra antes compartimentado em países e nacionalidades  agora numa imensa comunidade global.
                                                       * * *

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Blog As Leituras do Corvo - Louco por Viver

Carla Ribeiro, autora do blog As Leituras do Corvo, publica hoje a sua impressão acerca do livro "Louco por Viver", do autor Roberto Shinyashiki.

Veja o artigo completo no blog: http://asleiturasdocorvo.blogspot.pt/2015/01/louco-por-viver-roberto-shinyashiki.html


terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Blonde and Heels - Vida Organizada

É sempre bom ter estas surpresas por parte dos blogs parceiros do Castor de Papel.
Muito obrigada Adriana Silva, esperamos que goste tanto do livro "Vida Organizada" como nós!

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

PASSATEMPO Desperte o milionário que há em si

O blog Silêncios que falam está a promover um passatempo onde o vencedor vai ganhar um exemplar do livro "Desperte o milionário que há em si" do autor Carlos Wizard Martins.

Não perca esta oportunidade e informe-se de como participar em: http://silenciosquefalam.blogspot.pt/2015/01/passatempo-desperte-o-milionario-que-ha.html




O blog As Leituras do Corvo e O Contador de Estórias

O blog As Leituras do Corvo leu o livro "O Contador de Estórias" e publica no blog um resumo do livro dando a sua opinião a cada um dos contos.


Veja o artigo completo em: http://asleiturasdocorvo.blogspot.pt/2015/01/o-contador-de-estorias-demoura.html

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

As Boas Leituras do Castor

Louco por Viver

Viva com intensidade

Eu adoro acordar todos os dias e saber que posso fazer algo com significado: viver!

Pode dar certo ou errado, mas sei que vou fazer a minha vida valer a pena.

Fico triste ao ver pessoas talentosas que simplesmente ficam a olhar as oportunidades passarem diante delas sem fazerem nada para realizar os seus objetivos. Aliás, muitas nem mesmo têm objetivos.

Gosto de pessoas que ousam, pois o pior da vida não é ser rejeitado, mas sim não arriscar amar.

O mais triste da vida não é o fim de um grande amor, mas nunca ter-se apaixonado perdidamente por alguém.

O pior não é lutar e não conseguir realizar as suas vontades e os seus desejos, mas sim matar um sonho antes de ele nascer.
 
Na minha vida, muitas vezes perdi … mas sempre tive um amigo por perto para poder desabafar. Isso equivale a dizer que nunca fiquei pobre, porque quem tem um amigo é sempre milionário. Quanto mais a gente vive, mais constata que isso é verdade e não apenas um cliché.

 Este livro é sobre arriscar a viver.

Experimente estender os seus braços primeiro e não apenas ficar à espera que alguém faça isso para si. Em pouco tempo, terá muito mais pessoas para abraçar do que imagina possível.

In Louco por Viver- Roberto Shinyashiki, p.12-14



PVP s/ IVA: 14,00€
PVP c/IVA:14,84€
PÁGINAS:184




 

Armandinho Zero e Armandinho Um no blog Leituras de BD

O blog Leituras de BD escreveu, no passado dia 19, um artigo sobre as edições do Armandinho Zero e Armandinho Um pelo Castor de Papel.

Acompanhado da apresentação da editora 4 Estações e dos seus desafios no âmbito editorial, este artigo fala-nos sobre o autor das tirinhas Alexandre Beck e sobre o personagem cada vez mais apreciado pelo público jovem e adulto, o Armandinho.

Veja o artigo completo no blog Leituras de BD: http://bongop-leituras-bd.blogspot.pt/2014/12/lancamento-castor-de-papel-armandinho.html


O Mapa da Felicidade na revista Saúde Actual

A edição de janeiro/fevereiro de 2015 da revista Saúde Actual divulga o livro "O Mapa da Felicidade" nas suas sugestões de leitura.

"A autora deste livro é especialista em desenvolvimento do potencial humano por meio do autoconhecimento e do aumento da competência emocional há várias décadas. O leitor poderá começar por responder a uma pergunta principal: Qual é a sua verdade e qual a razão de você acordar  os dias? Abordando as nossas principais inteligências humanas, poderá traçar o seu próprio caminho, seguindo conceitos e exercícios práticos, e encontrar tudo aquilo que nele faz falta.
Percorra as quatro etapas propostas pela autora (tomar consciência, comunicar, perdoar e encontrar)  e descubra o mapa para a felicidade." in Saúde Actual, nº62, Jan/Fevereiro 2015



O blog Destante apresenta as publicações da 4 Estações e do Castor de Papel e ainda as novidades para 2015

O blog Destante (http://destante.blogspot.pt/) publicou três artigos relacionados com a 4 Estações e com o Castor de Papel apresentando os livros já lançados para o mercado e as novidades que vêm com o inicio de 2015.


Veja o artigo completo em: http://destante.blogspot.pt/2015/01/4-estacoes-editora-o-contador-de.html



quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

As Boas Leituras do Castor


Por onde começar quando tudo está um caos?

O leitor conhece muito bem o seguinte cenário: chegar a casa depois do trabalho, vê-la num estado caótico, louça acumulada no lava-louça, roupa estendida no estendal, porcaria do cão para limpar e algum alimento a estragar-se dentro do frigorífico, que mal consegue ter tempo para identificar. Não dá para pensar muito bem sobre tudo porque, afinal de contas, o jantar tem de estar pronto em menos de meia hora e, até lá, precisa de ter trocado de roupa e os seus filhos de tomarem banho. O seu marido, ou a sua esposa, têm um compromisso esta noite e são apenas você e os deuses hoje. Mesmo trabalhando em equipe, admita: É MUITA coisa para fazer. Não entende como existem pessoas que conseguem levar uma vida desta forma e ainda manter casa limpa, roupa em ordem, comida feita, motivação para o trabalho e hobbies diferentes.


A grande pergunta é: por onde começar? Há tanto para ser feito que acabamos por não fazer nada, e a situação continua assim, indefinidamente. 


PVP s/ IVA: 15,00
PVP c/IVA: 15,90
PÁGINAS: 224



quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

O blog Livros de Vidro apresenta os nossos Armandinhos

O blog Livros de Vidro leu os nossos Armandinhos e fez a sua apreciação!

Veja o artigo completo no blog: http://livrosdevidro.wix.com/livrosdevidro#!Opinião-Armandinho-um-de-Alexandre-Beck/cu6k/01F193D2-F805-40EC-9F34-A214CB2A6A57

O Mapa da Felicidade recomendado pela revista Prevenir

O livro da autora Heloísa Capelas, o Mapa da Felicidade, foi seleccionado pela revista Prevenir para a secção intitulada "Livros que melhoram os nossos dias".

"O treino do "seu bem" é sempre na positividade. Você aceita que não é perfeito e quando erra, perdoa-se e continua o treino" - Heloísa Capelas, pág. 51

Não perca a sugestão do mês da revista Prevenir e vá já comprar o seu Mapa da Felicidade!


quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

O que lhe falta para ser feliz? Encontre todas as respostas aqui!

Dominique Magalhães, autora do livro "O que lhe falta para ser feliz?", afirma que o seu dom é conectar as pessoas ao seu próprio dom. Assim, este livro vai ajudá-lo a encontrar a sua essência e a viver plenamente todo o potencial dos seus dons.
Venha responder à pergunta mais importante da sua vida: O QUE LHE FALTA PARA SER FELIZ?


terça-feira, 6 de janeiro de 2015

As Boas Leituras do Castor

Hoje as Boas Leituras do Castor abrem as páginas do livro "Ajude-me a Chorar" do autor Carpinejar. 
Coragem da Chuva é a crónica que nos acompanha neste fim de tarde e, como já é habitual, nos deixa a reflectir em questões que maior parte das vezes passam despercebidas na correria do dia-a-dia. 
"Os opostos não se atraem. Os opostos disputam quem tem razão".



CORAGEM DA CHUVA

À véspera da tempestade de granizos, a minha família dividia-se em dois grupos: os que se protegiam da chuva e os que festejavam à chuva.
Mãe e irmãos ajudavam a fechar as venezianas, a desalojar as velas das gavetas, a lacrar as portas e escondiam-se na sala com pavor dos relâmpagos. Receavam o pior, o destelhamento com as pedras, a infiltração pelas paredes. Formavam uma brigada de prevenção.
Já eu e o meu pai dirigia-mo-nos para a varanda como se fôssemos passear. Sentava-mo-nos no banco de madeira, com o aguaceiro nos pés, a admirar a tempestade.
Leves, livres, convictos. Adorávamos os pinotes das folhas, as cambalhotas dos galhos, o pipocar dos blocos nas lajes.
A água maquilhava nosso rosto com uma fria camada de pó.
Havia uma cumplicidade com o céu violáceo, estranho, absurdamente surpreendente.
Apontávamos qual o raio mais bonito, o mais sonoro, o mais longo, o mais próximo.
Não tínhamos medo, mas ansiedade feliz pelo espectáculo nervoso da natureza. Era como um teatro vazio, só eu e ele, armados dos dois ingressos vendidos, para ouvir a orquestra das árvores deslizando seus violinos de vento e seus violoncelos de assombro.
Ríamos da nossa coragem, enquanto os familiares gritavam em desespero para que a gente entrasse logo, que parasse com aquela brincadeira estúpida.
Vocês são loucos!
E o meu pai respondia:
Sim, somos! Agora deixem-nos com nossa loucura.- E abraçava-me carinhosamente entre os seus ombros.
O meu pai recolhia uns blocos de gelo para colocar no seu copo de uísque e no meu de limonada. E brindávamos os sabores da vida adulta com os da infância.
No amor, é igual: há os que temem a chuva e os que se jogam para vê-la na sacada.
E não adianta ensinar alguém a amar a tormenta- ela deve estar no sangue.
E não adianta fazer quem gosta de participar das trovoadas recolher-se em casa.
Os opostos não se atraem. Os opostos disputam quem tem razão.
Não dará certo juntar aquele que é travado para o relacionamento com aquele que é intenso, aquele que pretende controlar os factos e o que pretende inventar os seus próprios factos.
A sua companhia irá para de repente, e você a puxará pela mão jurando que um dia tomará confiança e virá. Não virá, jamais virá.
Pode desejar carregá-la que ela se cansará da mesma forma. Pode querer explicar que não é necessário ter medo, que não acreditará.
Enquanto exclamar "venha dançar na chuva", ela trancar-se-á no quarto à espera que passe.
O meu pai explicou-me, lá na minha criancice, que temos de procurar a parceira certa.
Só dois passionais não cobram passos, estarão correndo e nenhum dos dois se sentirá desajustado.
Não se vão atropelar porque partilham a mesma velocidade da ventania, o mesmo gosto pelo imprevisto, o mesmo susto de ser.
Os relâmpagos iluminam os loucos.

PVP s/ IVA: 14,00
PVP c/IVA: 14,84
PÁGINAS: 160

O blog A minha biblioteca de Banda Desenhada descobriu os nossos Armandinhos

A minha biblioteca de Banda Desenhada apresenta os livros do Armandinho, volume Zero e volume Um, acompanhados das imagens da capa e da história de como surgiram estas tirinhas tão apreciadas em todo o Brasil e, agora também , em Portugal. Uma edição do Castor de Papel que, em 2015, promete editar os dois próximos volumes.

Veja o artigo completo no blog A Minha Biblioteca de Banda Desenhada: http://biblobd.blogspot.pt/2014/12/armandinho-dois-primeiros-volumes.html

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

As Boas Leituras do Castor

Para um inicio de ano em grande, as Boas Leituras do Castor de Papel sugerem o livro "Louco por viver" do autor Roberto Shinyashiki.

Sinopse 1

Se procura um rumo diferente para a sua vida, o novo livro de Roberto Shinyashiki foi feito sob medida para si, para ajudá-lo.

O que vai definir a sua qualidade de vida é a sua capacidade de viver apaixonado por ela. Mas como ser apaixonado por viver? Como fazer cada segundo dessa jornada valer a pena?


Sinopse 2

VIVA * AME * JOGUE * ARRISQUE * ENTREGUE-SE
Numa época em que é tão comum sentir-se perdido, vemos que a infelicidade e o desânimo se tornaram as coisas mais democráticas do mundo: quase ninguém escapa delas. Tanto para os jovens quanto para os mais experientes, é comum sentir que a empolgação muitas vezes se perde nos cantos do cotidiano e da rotina. Há quem não acredite mais em amor, desejo e prazer de viver a vida.
Chega um momento em que descobrimos que o prazer da vida não é algo que se compra nem se encontra no fundo de uma mala de roupas ou naquele pedaço de bolo de chocolate. Falta … paixão.
No seu novo livro, Roberto Shiyashiki não promete nada; só toda a felicidade do mundo. Isso mesmo, leu bem.
De alguma forma, a nossa loucura e a nossa paixão podem ter-se perdido, mas uma vida prazerosa e cheia de energia e desejo da alma que ninguém deveria ignorar por muito tempo.
Aqui, o leitor é convidado a realizar o impossível. Aquele projeto que sempre viveu guardado no coração, o emprego que vale a pena e valorizar os seus talentos, o relacionamento capaz de o fazer andas nas nuvens. Entenda como tudo isso está à espera do seu primeiro passo e deixe o autor mostrar-lhe como dar esse salto.
Descubra que tem tudo para ser louco por viver.

A vida não é uma, a vida é muitas; e a sua está prestes a se reinventar. 

Roberto Shinyashiki, médico psiquiatra e terapeuta, tem como missão de vida ajudar as pessoas a realizar os seus sonhos. É por isso que está há mais de trinta anos a trabalhar para solucionar os principais problemas enfrentados pelo ser humano na busca da felicidade e da realização.
Cada livro que escreve é como uma conversa sincera, como faz nas suas palestras, convidando o leitor a aceitá-lo como guia e a embarcar numa jornada de mudança e reflexão.

PVP s/ IVA: 14,00€
PVP c/IVA:14,84€

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

As Boas Leituras do Castor

Hoje, as Boas Leituras do Castor, depois da folia da passagem de ano, regressam com muito humor e boa disposição com os dois volumes dos livros de tirinhas de Alexandre Beck- Armandinho Zero e Um.



Um menino de cabelo azul, rebelde e refilão, um sapo, a amiga Fê e as pernas dos pais são as personagens que fazem parte destes dois livros e que já conquistaram o publico juvenil e adulto no Brasil.


Das aventuras do dia-a-dia às questões mais sérias relacionadas com política, ambiente ou preconceito social, os livros do Armandinho são sempre uma boa companhia para soltar algumas gargalhadas com a maneira descontraída como o personagem principal se debate com as questões que o rodeiam no seu quotidiano.

PVP s/ IVA: 9,00 PVP c/IVA: 9,54
PÁGINAS: 96